Carreiras,  Geral

Habilidades do futuro

Lembro que quando criança ouvia as pessoas falando do quanto minha avó materna era boa como parteira. Minha mãe mesmo chegou a trabalhar um tempo como parteira, mas atualmente quase não se ouve falar dessas profissionais.

Vamos deixar de lado a parte da discussão a respeito da profissão de parteiras em si e vou focar na parte onde podemos analisar as profissões que desaparecem ou que surgem de acordo com as necessidades do tempo.

Esse tipo de discussão é bastante válido e transformador, já que deixa todos inquietos.

Você sabe quanto tempo dura sua profissão?

A fim de avaliar quais as habilidades são necessárias nos próximos anos o Fórum Econômico Mundial lança todos os anos as habilidades que devem ser “cultivadas” para os próximos 5 anos. O link para o relatório completo, que prevês as habilidades necessárias para 2020 você encontra aqui.

O ranking das habilidades é obtido através de estudos, pesquisas de tendências sociais, tecnológicas e econômicas e então são listas as principais habilidades, que possivelmente não podem faltar nas pessoas que querem manter desempenhando seus papéis, seja em uma empresa, seja desenvolvendo seus negócios.

1 – Resolução de problemas complexos

Não é novidade que vivemos em um mundo complexo, onde as varáveis  são muitas e podem mudar e de um dia para o outro.

Desta forma é válido pensar que não haverá um momento tranquilo, um momento mais cômodo e quanto mais tempo a solução demorar para vir, menos valor ela terá.

Pensar no global e no geral é essencial para todos os profissionais e por isso essa habilidade foi destacada como a primeira da lista.

Para saber mais sobre a complexidade do mundo, veja este artigo como o MUNDO VUCA.

2 – Pensamento crítico

O pensamento crítico é a capacidade do uso do pensamento lógico para considerar as forças, fraquezas e oportunidades das situações.

O pensamento crítico não é ter objeções para todas as mudanças, nem se colocar contra tudo e todos, mas pensar em como as coisas podem mudar e como pode-se melhorar.

Para saber mais leia este artigo que tem dicas de como desenvolver o pensamento crítico.

3 – Criatividade

Não é novidade que os campos da tecnologia e robótica tem ganhado destaque em todos os setores de trabalhos.

Entretanto robôs e computadores são falhos quando se tratar de ter ideias diferentes e fazer diferentes, isso porque só fazem o que são programados para realizar.

As pessoas que já tem inclinação para a criatividade se beneficiam desta habilidade e são requisitadas para as mais diversas posições de trabalho.

Para você, que talvez não se considere uma pessoa criativa tenho uma ótima notícia: a criatividade pode ser exercitada.

Acredito que é impossível que você não consiga desenvolver novas ideias e soluções, o que pode acontecer é que você pode matar prematuramente as ideias que tem. Procura desenvolver toda a ideia até o fim, sem críticas, sem “mas, mas”. Depois que estiver tudo pronto, volte ajustando o que é preciso e então decida se a ideia é válida ou não.

Para ter mais dicas de como desenvolver o pensamento criativo veja este artigo.

4 – Gestão de Pessoas

Para os líderes atuais ou para quem pretende assumir cargos de liderança a capacidade de gerenciar pessoas é essencial.

Neste contexto sai de cena o chefe e entra o líder, que tem entre outra qualidades a capacidade de delegar, inspirar, motivar, desenvolver e gerenciar cada membro da equipe de modo especial.

Quem acha que reuniões de alinhamento semanais, treinamentos e capacitação pode começar a pensar que em breve o velho modelo de “chefe” que manda e desmanda será aposentado.

Lembro de outras frases que ouvi em um curso de gestão de pessoas:

Chefe: Não vou investir em meus empregados! Ensino tudo a eles e eles vão embora.

Líder: Qualquer investimento em colaboradores é nulo se não houver uma boa gestão de pessoas.

Como o assunto de Gestão de Pessoas é muito amplo, deixo a pesquisa externa com você 🙂

5 – Coordenação

O líder do futuro tem que ter a capacidade de coordenar de delegar as funções.

Se por um lado é preciso gerenciar as equipes, por outro lado é preciso coordenar as ações a serem realizadas pela equipe.

A coordenação é uma qualidade crítica para o papel de líder, uma vez que é preciso pensar nas próprias atividades em sincronia com as atividades de toda a equipe de liderados.

Muito fácil pensar nessa habilidade como um maestro, que conta com cada músico para que tudo saia de acordo e no tempo certo.

Quando o trabalho é bem coordenado os resultados são vistos, do mesmo modo que o contrário também.

6 – Inteligência Emocional

Gerir as próprias emoções ainda é um desafio para muitas pessoas.

Já ouvi dizer que há pessoas que, por falta de conversas francas sobre o assunto, não sabem definir como se sentem e tudo piora quando não tem o menor controle sobre o que sentem.

A inteligência emocional ainda não faz parte dos currículos, mas é muito importante nos critérios de seleção, dado que quem sabe definir o que sente, sente-se mais seguro em controlar as próprias emoções.

O livro “Inteligência Emocional” do autor Daniel Goleman ganhou bastante destaque na mídia, embora haja muitos artigos e material disponível sobre o assunto.

Ainda sobre os efeitos do descontrole das emoções, veja este artigo.

7 – Capacidade de julgamento e de tomada de decisão

Se há uma coisa que eu sempre detestei foi decidir. Pode parecer bobagem, mas é verdade.

Depois me dei conta que o processo de decisão envolvia outros fatores, que me deixavam desconfortáveis com as escolhas que fazia.

Neste artigo são tratados os fatores que podem atrapalhar qualquer decisão.

No mundo atual para todos os profissionais, e essencialmente para os gestores, é necessário que as tomadas de decisões seja realizadas nos momentos certos.

8 – Orientação para servir

Já se foi o tempo que para se manter em um trabalho era preciso preservar o aprendizado e ser a única pessoa a saber fazer isso na empresa (ou no mercado).

O profissional que pensa em “pôr-na-meia” o que sabe e não compartilha o que sabe e o que faz terá muitas dificuldades em trabalhar em equipe. Pensando nas próprias, férias do colaborador, como poderia tirar as merecidas férias se ninguém mais sabe fazer o seu trabalho?

Outro ponto importante aqui é que a quantidade de informações e a velocidade das descobertas atualmente é muito diferente, então não tem motivos para preservar esconder o que sabe, mais cedo ou mais tarde alguém saberá e então não será mais um diferencial.

Seja líder, seja liderado, é necessário estar disposto a servir aos propósitos da equipe.

9 – Negociação

Esta é uma outra habilidade que não pode ser feita por computadores e robôs, já que envolvem muitas variáveis emocionais e bastante “humanas”.

Saber se relacionar para chegar aos melhores acordos é uma habilidade necessária para profissionais de diversas áreas.

10 – Flexibilidade cognitiva

A palavra da moda ainda é “desconstruir” e não sei até quando ela ainda vai ficar em destaque.

Os profissionais que desejarem manter suas posições de trabalho precisam aprender a aprender, se atualizar e quando necessário desaprender tudo novamente.

Isso se dá principalmente por conta das rápidas mudanças conceituais onde verdades são provadas e derrubadas na mesma velocidade (VUCA).

 

Um forte abraço e até mais,

 

Wel Tavares

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: