Textos

O Primeiro, o Segundo, o Terceiro e o planeta

Havia um planeta distante, muito distante. Nele haviam três habitantes chamados Primeiro, Segundo e Terceiro.

Era um planeta pequeno, que girava em torno de um pequeno sol. Um sol que não o castigava, mas alimentava e o aquecia na medida que necessária.

Um dia Primeiro decidiu separar o planeta em partes e desde modo foram criados os países.

Primeiro ficou com a maior parte de terras, já que era mais inteligente. Segundo ficou com uma parte de terras menor que Primeiro e Terceiro com o menor pedaço de terra que restou.

Durante uma tempestade de meteoros e objetos diversos o planeta foi atingido e se abalou.

Os habitantes correram para ver o que era e para surpresa de todos era apenas uma fruta que havia se cravado em um local que ficava com partes em cada um dos países.

Primeiro, sempre curioso, experimentou um pedaço da fruta e comeu a parte que estava do seu lado do território. Segundo não esperou muito e também comeu a parte da fruta que estava em seu lado do território. Terceiro, desconfiado ainda, comeu um pouco da fruta, mas não gostou e deixou que secasse.

Os dias se passaram e a semente da fruta foi afundando-se na terra do pequeno planeta.

Primeiro olhou aquilo e ignorou, argumentando para si mesmo que embora a semente estivesse mais no seu território, não caberia a ele retirar a semente de lá.

Segundo olhou a atitude de Primeiro e apenas seguiu.

Terceiro tentou remover a semente, mas não queria tocar na parte que estava na dos outros companheiros.

Os dias se passaram rapidamente e a semente sumiu na terra. Foi engolida pelo solo do planeta.

Após semanas a semente brotou e rachou o planeta em várias partes. Sem o núcleo para sustentar a atmosfera todas as poucas coisas que haviam no planeta foram jogadas no universo, para virar poeira.

Os habitantes não tiveram sorte diferente, foram lançados, sem ar e sem vida ao universo.

Antes de sucumbir, Terceiro pensou consigo: “Ah se eu fosse Primeiro, teria salvo nosso planeta!”.

Algumas vezes agimos exatamente como os habitantes deste pequeno planeta. Não importa o tamanho de nossa responsabilidade, não importa o quanto nos cabe, o todo precisa de nós, sejamos o Primeiro, Segundo, Terceiro, Quarto ou quem quer que seja.

Cada um sabe o que precisa fazer para o bem do lugar onde está, basta fazer, nem que seja pouco, mas deve fazer.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: