Carreiras,  Geral

O melhor funcionário do setor

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vamos falar sobre um assunto que gera bastante polêmica e em alguns casos alguns desgostos e constrangimentos: o melhor funcionário (risco do autor!) colaborador do setor.

Não vou tratar aqui de politicagens e bajulações, mas tentar ajudar quem tem interesse a se destacar e melhorar tanto a imagem no setor, quanto no pessoal.

Nos últimos dias do ano dediquei boa parte de minhas horas à leituras. Diversos tipos e assuntos. Construtivas, provocativas, técnicas e algumas somente para diversão. Entre as leituras, um dos temas em destaque foi a inovação.

A maior questão sobre inovação é sobre qual a diferença entre criatividade e inovação. Talvez em um posto futuro nos aprofundemos mais, mas de modo raso a criatividade é o processo e as motivações para mudanças, ou propostas. Inovações são processos, que por meio de dados e criatividade, são feitas melhorias no que já existe, ou propostas novos produtos ou processos.

Deu para ver que apesar de serem bem parecidos e estarem bem ligados, são bem distintos e vão ser bem úteis para a discussão sobre o melhor colaborador do setor.

Para ser potencialmente nomeado o melhor, ou estar entre os melhores, é preciso realizar as tarefas essenciais e ir além: ser inovador.

Não me recordo agora a autoria da frase ou conceito, há uma máximo que cai muito bem aqui:

“Você gera valor para a empresa pelo que faz bem”

Vamos retomar a questão da inovação logo mais.

Definição de Metas

Quando um setor é bem competitivo – vendas são campeãs em competitividade – e tem metas de destaque bem definidas é muito fácil medir quem está alcançando as metas e desta forma saber, de acordo com a meritocracia, quem é melhor funcionário do setor.

Alguns exemplos de metas bem definidas são:

  • Maior número de vendas;
  • Maior número de contratos fechados;
  • Maior número de clientes retidos;
  • Maior número de atendimentos;
  • Menor nível de absenteísmo (ausência em ligações);
  • etc.

As metas podem ser uma ou mais desses indicadores a serem avaliados.

Mas o problema está quando os setores não tem metas definidas e todos aparentemente fazem a mesma coisa. Como saber quem é melhor colaborador do setor.

Perfis de colaboradores

Para entendermos melhor com o fazer este destaque vamos falar de dois termos, que podem ser até ser considerados perfis de colaboradores: promotores e detratores.

Promotores

Colaboradores que apresentam boa vontade no que fazem e nitidamente realizam as tarefas e processos de bom grado.

Se questionados, falam bem do setor e empresa, mesmo que tenham apontamentos de melhoria.

Os problemas enfrentados no setor pelos colaboradores com esse perfil são problemas que podem e precisam da participação de todos. Incluem-se como parte da solução.

Detratores

Colaboradores que apresentam insatisfação no que fazem e nitidamente realizam as tarefas com a pior de todas as motivações: o dinheiro.

Se questionados falam mal do setor, empresa, colegas e alguns chegam a reclamar da própria sorte e escolhas.

Os problemas presentes no setor são dos outros. A solução seria o mundo virar do avesso (talvez).

Destaca-se, também, como detratores os colaboradores que conhecem pouco, ou quase nada de seus produtos e acabam por fazer fracassar as vendas de um produto ou serviço. Exemplos:

– Cozinheiro bom x Garçom ou garçonete indiferente

– Marceneiro bom x Montador sem capricho

Não precisa de muita análise para verificar que detratores jamais seriam considerados bons colaboradores. Como certamente não serão nomeados vão incluir no discurso a pauta sobre a empresa só reconhecer quem não merece.

Neste momento estou citando colaboradores detratores, mas há donos de negócios detratores e acabam por se boicotar, mas não vamos nos aprofundar agora.

Promotores inovadores

Já que somente promotores podem receber as honras do melhora colaborador do setor, como destacar entre eles quem seria o melhor?

Além da excelência com a qual executam suas tarefas, são os que incluem e dedicam um pouco do seu tempo às inovações: soluções para si e para empresa por meio da criatividade.

Destaco aqui o importante papel de haver disciplina para as inovações. Para que seja percebido o valor da inovação é necessário que ela gere valor para a empresa (economia, mais ganhos ou  novos contratos) e não fique apenas no campo das ideias.

Convenhamos que nem todas as ideias são praticáveis e isso tem que ser encarado com muita maturidade. Se uma inovação será desastrosa, vira-se a página e inicia-se outra.

Todas as inovações precisam de prazos (afinal tudo tem data de validade!) para iniciar, se desenvolver, analisar, implantar e aprender. Se for o caso de inviável iniciar, desenvolver, analisar, aprender e encerrar. Em todos os casos e passos é importante que sejam colocadas datas limites para cada uma das fases.

Além das inovações é importante que os colaboradores mostrem seu trabalho com indicadores que geram valor para a empresa. Por isso colete dados e gere gráficos. Divulgue os resultados em sites, redes sociais, murais, etc.

 

Por hoje é isso e que sejamos todos os melhores colaboradores do setor

Forte abraço

Wel

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: